Bruno Romano

Comediante, palestrante e empresário, Bruno Romano acumula mais de 10 anos trabalhando nas áreas de marketing e vendas. Já foi autônomo, funcionário de multinacional, consultor, dono de agência de marketing e co-fundador de uma startup de sucesso na área da educação que em 3 anos já faturou mais de 10 milhões de reais, formou mais de 5 mil alunos e impactou a forma com que mais de 500 mil pessoas aprendem. Nos palcos, já se levou o seu humor e o seu conhecimento para todo o Brasil, em teatros, casas de shows e eventos corporativos, além de ter participado do casting de programas de humor na Rede Globo, no Multishow e na Record. Se tornou o comediante mais temido entre os comediantes do Brasil ao criar o quadro React da Vergonha, onde desenterra um video vergonhoso de um comediante e assiste com ele.

  • • COMO VENDER SUAS IDEIAS
  • • OS DESAFIOS DE VENDER NA ERA PÓS DIGITAL
  • • HUMOR É COISA SERIA?
  • • WORKSHOP OS DESAFIOS DE VENDER NA ERA PÓS DIGITAL
  • • MESTRE DE CERIMONIAS

Uma pesquisa apresentada no livro Vender É Humano, de Daniel Pink, aponta que cerca de 40% do tempo

de qualquer profissional no mercado de trabalho é dedicado a vender ideias. Partindo desta premissa,
Bruno traz conceitos da sua vivência de mais de 10 anos em Marketing, Vendas e Comunicação, aplicados
A venda de uma ideia, tudo isso de uma maneira leve, bem humorada e fácil de entender. Não precisa ser
vendedor para entender essa palestra. Pelo contrário, ela é ideal para todos os setores da empresa, afinal
todos nós precisamos aprender a criar propostas mais atrativas, certo?

Somos expostos diariamente a mais de 5000 marcas todos os dias. Em um mundo onde o digital virou padrão (da o conceito pós digital), o jeito de fazer marketing e principalmente vender mudou completamente. A lógica de olhar para o produto, criar uma campanha para divulgá-lo e esperar que as pessoas compram está cada vez mais fadada ao fracasso. Grande parte do que sabemos sobre marketing e vendas nos dias de hoje, nos faz concorrer com essas mais de 5000 marcas todos os dias. Nesta palestra, Bruno mostra o racional por trás de estratégias vencedoras que utilizou para criar campanhas que chegaram a faturar 10 milhões de reais. São conceitos fundamentais para empreendedores e profissionais de marketing e vendas que não querem ficar para trás.

 O comediante faz o uso do humor como a finalidade do trabalho dele. Se ele subir no palco e não fazer a
plateia rir, não funcionou. Bruno mostra que, além de fim o humor também pode (e deve) ser
utilizado como meio. Meio para entregar conteúdo, meio para que as pessoas se atraiam mais por você,
meio pra criar um ambiente mais leve... O humor pode ser uma ferramenta poderosa e possível de ser
desenvolvida por qualquer pessoa. Na palestra, Bruno explica por que as pessoas riem e explica três
técnicas de criação de piadas de comediantes renomados que podem ser usadas como modelo. Ideal para
eventos de marketing digital, treinamentos, líderes, gestores, professores e qualquer profissional que
precisa aumentar o nível de atenção ao seu conteúdo.

Além de trabalhar os conceitos citados na palestra de mesmo nome, Bruno faz uma desconstrução das
campanhas já criadas por ele e mostra de que forma aplicou cada conceito que ensina. Após a
desconstrução, Bruno propõe que as pessoas criem suas abordagem através de um mapa criativo e
conduz uma dinâmica para que as pessoas saiam com uma abordagem pronta. Caso o workshop seja
contratado independente da palestra, o conteúdo da palestra estará inserido na apresentação.

Você já parou pra pensar no quanto o seu evento (social ou corporativo) poderia ser mais divertido o tempo todo, não apenas quando um comediante ou um palestrante "mais engraçadinho" está no palco?
E se, além de divertido, ele pudesse ter um roteiro mais completo e pensado para que as pessoas aprendessem mais?
Isso é o que o meu trabalho como host inclui:co-criação do roteiro do evento, apresentação e entrega de conteúdo, garantindo que além de um momento de muito entretenimento, o evento seja um momento de muita aprendizagem. Interessou?